Uma das perguntas mais frequentes que me fazem sobre tablets é sobre a diferença entre ecrãs touchscreen capacitivos e resistivos. Vou ser sincero, pensei que ninguém se preocupasse com esta diferença, mas uma vez que querem saber, cá estamos nós para esclarecer:

Ecrãs resistivos

Este ecrãs são os mais comuns devido ao seu baixo custo de produção. A sua principal característica prende-se com o facto de necessitarem de pressão para registar o contacto. Por norma o contacto pode ser feito com o dedo ou com um stylus.

Porquê? Porque esta tecnologia consiste de um painel de vidro, coberto por duas camadas metálicas condutoras que são mantidas afastadas por espaçadores e uma terceira camada resistente a riscos que é colocada por cima de todo o conjunto.

A corrente elétrica passa através das duas camadas e quando um utilizado toca o ecrã, as duas camadas fazem contacto num ponto exacto. A mudança no campo elétrico é detectada e as coordenadas do ponto de contacto são calculadas pelo computador.

Logo que as coordenadas são conhecidas, um driver traduz o toque de modo semelhante com o que faz o driver do mouse do computador ao traduzir os movimentos do mouse numa operação de clicar ou arrastar.

 Esta é a tecnologia utilizada em todos os tablets de baixo custo.

Ecrãs capacitivos

Estes são os que normalmente equipam os equipamentos topo de gama, como por exemplo os iPhone e iPad. As suas principais características são a precisão e o facto de exibirem melhores imagens, com mais brilho e contraste.

Como não necessitam de pressão para detectarem o contacto, têm em média um tempo de vida superior.

E porque é que não precisam de contacto? Porque a tecnologia consiste numa camada que armazena carga eléctrica, colocada no painel de vidro do monitor. Quando um utilizador toca no monitor com o dedo, parte da carga é transferida para ele, e a carga na camada capacitiva diminui.

Esta variação de carga é medida por sensores localizados em cada canto do monitor. Com base nas diferenças relativas de carga em cada canto, o computador calcula exatamente onde ocorreu o toque. A tecnologia de multi-toque costuma ser em ecrãs capacitivos (apesar de ser possível implementar também nos resistivos)

Um dos pontos negativos desta tecnologia prende-se com o facto de ser obrigatório a utilização dos dedos, ou de um dispositivo condutor que altere a carga no visor, é por isso que as canetas, stylus ou mesmo luvas não funcionam no iPad.

Resumindo

Os ecrãs resistivos são mais baratos, e funcionam com pressão de qualquer tipo de objecto (típicamente stylus), por outro lado os ecrãs capacitivos são mais precisos e exibem melhor imagem.

Sim, eu sei que bastava o resumo, mas eu sou assim. Tinha mesmo de explicar como funcionam!!!

Há quem diga que tem sangue azul. Ninguém sabe se é por descender de nobres ou por morar na Ribeira. Dá-se com todos e gosta de conversas. Não fecha ouvidos a um bom cochicho e gosta de espalhar notícias e rumores. Toda a gente sabe que para saber as últimas novidades tem que ler as Breves do Pedro Fonseca. Tem curso de Informática do ISEP e PG na área da Informática na Saúde. É um geek do nuorte, carago! Seguir @pmfonseca1972
Pedro Fonseca
Artigos de Pedro Fonseca

Pub

Os comentários não estão autorizados.